TELECOM

Inatel sofre ataque de ransomware

19/11/2021 09:34

Parte do conteúdo do instituto foi criptografado e um dos backups, deletado.

O Inatel é um centro de ensino, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), instituição mineira dedicada à formação de profissionais no setor de telecomunicações e tecnologia, informou ter sofrido um ataque de ransomware na madrugada do último domingo, 14.

Segundo o site CISO Advisor, a diretoria da instituição enviou um comunicado sobre o incidente aos colaboradores admitindo que “alguns servidores tiveram parte do seu conteúdo criptografado, sendo certo que um dos backups foi deletado”. 

A deleção de backups seria uma característica recente do ransomware denominado Conti. 

“Não temos, até o presente momento, certeza da dimensão dos danos causados, tampouco se houve captura de dados. Há uma equipe trabalhando, 24h por dia, para fazer todos os levantamentos e para recolocar os sistemas em situação de normalidade e segurança”, afirmou o Inatel no comunicado.

O instituto afirma ter contido a invasão e realizado todos os protocolos previstos assim que houve a identificação, além de estar fazendo o acompanhamento do caso com a equipe interna e uma empresa especializada em investigação forense digital.

A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) também foi notificada sobre o incidente, assim como todos que, eventualmente, possam ser atingidos pelo crime foram alertados sobre a invasão e os cuidados com práticas e contatos suspeitos.

Segundo o Inatel, os seus sistemas da área de serviços ao mercado não foram atingidos. Na manhã desta sexta-feira, 19, o site da instituição está funcionando normalmente.

Criado em 1965, o Inatel é um centro de ensino, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias nas áreas de desenvolvimento de software, hardware, consultoria e calibração de equipamentos. 

Ele foi a primeira instituição de ensino superior de engenharia de telecomunicações do Brasil e, atualmente, oferece sete graduações em engenharia, além de cursos de pós-graduação lato sensu, cursos a distância e mestrado e doutorado em telecomunicações.

O instituto é unidade Embrapii e possui parcerias com empresas de tecnologia nacionais e multinacionais, como a Huawei, com a qual inaugurou um centro de segurança cibernética em março deste ano.

Veja também

SEGURANÇA
Ex-Logicalis assume gerência na NSFOCUS

Raphael Tedesco lidera a área de alianças e parcerias na América Latina e Caribe.

CENÁRIO
Segurança X UX

Resolver esse atrito é o grande desafio para o Brasil em 2022.

INVESTIMENTOS
Huawei: projetos voltados à cibersegurança no Brasil

Além de ter um T-Center em São Paulo, a chinesa apoia um centro de segurança em Minas Gerais.

CIDADES
Câmara de Vereadores de BH é atacada

Site sofreu ataque de defacing e está fora do ar por tempo indeterminado.

VAZAMENTO
Dados da MoIP à venda

Empresa pertence à PagSeguro desde o ano passado. Em nota, PagSeguro tenta conter o dano de imagem.

ATAQUE
Atento admite vazamento de dados

Empresa reconheceu que informações "comerciais e financeiras" estão na Internet.