A Telefônica está ampliando seu uso do data center da T-Systems em Barueri. Foto: Divulgação.

A Telefônica está ampliando seu uso do data center da T-Systems em Barueri, na região metropolitana de São Paulo, gerando com isso um investimento de R$ 20 milhões da multinacional alemã na expansão do local.

O assunto foi revelado pela edição em uma matéria da revista Isto É Dinheiro sobre a ampliação da T-Systems no país, na qual é mencionado que  a expansão é resultado de um contrato de 10 anos com uma “operadora de telecomunicações”.

Segundo a reportagem do Baguete pode averiguar com diferentes fontes, a operadora em questão é a Telefônica. 

Procurada, a T-Systems afirma que não pode comentar a informação. A Telefônica também respondeu que não vai comentar o tema.

O motivo pelo qual a Telefônica não quer falar do assunto e provavelmente não autoriza a T-Systems a fazê-lo é simples. 

A T-Systems é controlada pela Deutsche Telekom, uma concorrente da Telefônica, companhia que por sua vez possui sua própria oferta de nuvem no país por meio da Vivo.

A Vivo Cloud Plus foi lançada em 2013 no país, mais ou menos junto com ofertas similares da Oi e da Claro. 

Na matéria da Isto É Dinheiro, a informação é que o novo cliente estaria transferindo 100% do seu processamento de dados para o local. 

As fontes ouvidas pelo Baguete afirmam que a expansão visaria atender o público de pequenas e médias empresas, enquanto as aplicações core seguiram na nuvem da Telefônica.

Apesar de não ser necessariamente uma informação que a Telefônica queira compartilhar aos quatro ventos, o contrato com a T-Systems segue a tônica geral do mercado de telecomunicações, onde as empresas competem entre si por clientes, mas também colaboram por meio de acordos de compartilhamento de infraestrutura.

O contrato é uma grande tacada para a T-Systems, que está realizando a terceira onda de investimentos no seu data center desde a inauguração em 2011.

Foram R$ 50 milhões para sua criação, mais R$ 25 milhões em uma expansão em 2016. O espaço foi um dos primeiros centros Tier 3 do país e tem hoje 1,8 mil metros quadrados.

O data center atende hoje mais de 50 clientes, incluindo clientes globais da companhia, como BAT, Shell e Thyssengroup e outros locais, como Qualicorp, Kroton, Líder Magazine, Casa&Vídeo e Grupo ABC.