CARGOS

Weiden vai para o conselho da Unico

21/09/2021 10:07

VP de Engenharia foi contratada no ano passado e promoveu sacudida interna.

Fernanda Weiden.

Tamanho da fonte: -A+A

Fernanda Weiden, vice-presidente de Engenharia da Unico, acaba de ser nomeada para o conselho de administração da startup, o nome mais quente no mercado brasileiro de IDTech.

Com o novo cargo, a área de engenharia passa a ficar sob o comando de um diretor, Ariovaldo Carmona, ex-VP de Engenharia do Grupo ZAP, um e-commerce de imóveis adquirido pela OLX por R$ 2,9 bilhões no final de 2020. Carmona está na Unico desde o final do ano passado.

Weiden foi contratada em novembro de 2020 para liderar o time de engenharia da empresa, que oferece tecnologia de assinatura digital e biometria facial e recentemente adquiriu o status de unicórnio.

A Unico não chega a colocar as coisas assim na sua nota oficial, mas Weiden está saindo da operação para uma posição na qual as empresas costumam colocar nomes de prestígio para atuar com aconselhamento, com um envolvimento variável no dia a dia.

Segundo a Unico, os conselheiros têm uma atuação mais próxima do cotidiano da empresa, cooperando de forma próxima com diretores e VPs.

“O primeiro ano da minha filha coincidiu com o isolamento social e foi bem desafiador em diferentes sentidos. Me fez entender que preciso de um tempo maior com a família e, por isso, estou usando a flexibilidade que tenho na Unico para ter mais equilíbrio", revela Weiden.

Além de Weiden, cinco outros nomes integram o conselho: Diego Martins e Paulo de Alencastro, os fundadores da empresa; Nelson Mattos, um executivo de alto calibre com passagens por IBM e Google, além de representantes dos fundos de investimento General Atlantic e SoftBank, que colocaram milhões na empresa (R$ 625 milhões, para ser mais exato).

“É sempre um continuar. Com a Fernanda em nosso Conselho, estaremos ainda mais seguros de que a Unico caminha para ser uma das maiores empresas do Brasil e do mundo. Vamos mostrar que o Brasil pode ter uma Bigtech”, afirma Martins, que é o CEO da empresa.

É uma ambição e tanto: BigTech é o termo pelo qual se denominam as gigantes de TI dos Estados Unidos, como Amazon, Apple, Google, Facebook e Microsoft, com valores de mercado na casa de trilhões de dólares.

Weiden é uma profissional com experiência nesse mundo, tendo sido diretora de Engenharia de Produção do Facebook na sede em Menlo Park.

No Facebook, Weiden era responsável pela escalabilidade, performance e eficiência de apps como Facebook, Instagram e Whatsapp. Antes, a profissional passou pelo Google, também em um cargo de gerência.

Desde a chegada na Unico, Weiden quintuplicou a equipe de engenharia, hoje com 125 pessoas, e implementou algumas iniciativas ousadas, como parar tudo por três meses para resolver os chamados “débitos técnicos”. 

Carmona deve seguir liderando essa ampliação da equipe, para a qual existem no momento 100 novas vagas abertas. No último ano, até julho de 2021, a Unico saltou de 180 para 700 colaboradores.

Muitas das contratações são executivos de alto perfil: Francine Graci (ex-Twitter) como VP de RH; Cinthia Battilani (ex-Nike) como diretora de Jurídico; Pâmela Vaiano (ex-99 e J&J) como diretora de Comunicação, Marcelo Quintella (ex-Google) como VP de Produto e Igor Ripoll (ex-Salesforce e Microsoft) como VP de Vendas e Customer Sucess. A IDTech conta ainda com Gabriela Onofre (ex-J&J e P&G) como CMO; Guilherme Cervieri (ex-Igah Ventures) como VP de M&A.

Veja também

TIME
Unico contrata ex-Twitter

Francine Graci atuará como vice-presidente da área de recursos humanos.

CARAS
Itaú tem biometria no app

Deve ser um dos maiores contratos do ano. Infelizmente, o Itaú não fala quem levou.

TIME
Unico contrata VP da Salesforce

Novo reforço de peso, Igor Ripoll passou ainda por Oracle e Microsoft. 

BIOMETRIA
Asper investe em direitos de uso da Ntechlab

A ferramenta de reconhecimento facial é baseada no algoritmo FindFace.

$$$
Nuvemshop prepara mega aporte

De acordo com o The Information, companhia está avaliada em US$ 2 bilhões.

SORRIA
Reconhecimento facial X LGPD

A fronteira entre segurança pública e mero interesse é tênue e as decisões judiciais já refletem isso.