O Pequeno Livrinho sobre Contos e Crônicas sobre o Mundo da TI relata narrativas sobre os perrengues da TI.

Juliano Statdlober, co-fundador e CTO da Qualitor, acaba de lançar o Pequeno Livrinho sobre Contos e Crônicas sobre o Mundo da TI, um apanhado de narrativas reais e fictícias sobre os perrengues do cotidiano da TI contadas sob uma ótica bem-humorada.

A ideia, segundo o autor, é apresentar situações curiosas já vividas por profissionais de TI no exercício da profissão. 

O livro conta histórias relacionadas à lida com equipamentos ou software, ao manejo de projetos, ao trato com colegas ou gestores e ainda ao atendimento ao cliente.

“Tudo parte de observações de experiências que vivi ou presenciei outros viverem. Mesmo nos textos fictícios, os personagens são inspirados em pessoas e situações reais. É uma reunião de situações cômicas, sarcásticas, uma sátira do cotidiano da nossa profissão”, conta Statdlober.

O objetivo do lançamento, que saiu pela editora AllPrint, é divertir e mostrar o lado humano da TI. 

A capa do livro já informa: “Acredite, você pode estar neste livro”. E quem atua na área de TI provavelmente está mesmo, pois o autor garante que será fácil se reconhecer nas situações narradas. A publicação inclui um tom histórico, com a narrativa de alguns dos “dinossauros” da TIC.

“Na verdade, analiso que nós, que vivemos a evolução do mercado de TI no Brasil, não somos dinossauros, mas sim baratas. Porque os primeiros foram extintos, e nós não: somos resistentes, adaptáveis, resilientes e seguimos aí”, comenta o autor.

A literatura de TI já faz parte do currículo de Statdlober há algum tempo. Ainda que considere a escrita um hobby, ele já lançou os livros Help Desk e SAC com Qualidade (Editora Brasport, 2006) e Gestão do Conhecimento em Serviços de TI (Editora Brasport, 2016) – este segundo com adaptação em inglês disponível na Amazon para venda em todo o mundo, tendo exemplares online e físicos já vendidos para EUA, Canadá, Japão, Austrália e vários países da Europa.

“O processo criativo é prazeroso para mim, seja criando software, seja inventando um novo produto, seja escrevendo um livro. Faço por prazer, além do que esse tipo de coisa me traz uma boa dose de realização pessoal”, conclui o autor.