Currie tem passagens por grandes organizações do setor financeiro.

O Nubank acaba de contratar David Currie, ex-CISO da Bolsa de Valores de Hong Kong, para assumir a posição de CISO na fintech.

Currie é um profissional com um cacife poucas vezes visto no mercado brasileiro de segurança da informação (os profissionais em nível de diretoria focados no assunto são conhecidos pela sigla CISO, ou ainda CSO).

Além de ter sido CISO da bolsa de Hong Kong por sete anos (nos últimos dois, o profissional também era head de gestão de risco). Currie foi líder de segurança da informação na Visa e líder de criptografia no Barclays, ambos em Londres, um dos principais hubs do sistema financeiro mundial.

Currie começou carreira em 1999 no ANZ, um dos principais bancos da Austrália.

O novo CISO deve se transferir para São Paulo, uma vez que a crise do coronavírus estiver superada.

Ele foi admitido por meio de videoconferência e está tocando suas atividades à distância.

Executivos de padrão internacional como Currie não são raros no topo do comando da Nubank,  a primeira startup brasileira a romper a marca de US$ 10 bilhões sem abrir capital.

A posição relacionada a segurança, no entanto, é especialmente importante. Ao longo de 2019, muitos players da área de fintech sofreram desgastes de imagem com vazamento de dados, algo crítico em um ramo no qual a confiança do cliente é chave.

A partir do ano que vem, vazamentos de dados podem ter consequências ainda mais sérias, quando entrar em vigor a LGPD, que prevê multas de até R$ 50 milhões ou ou 2% do faturamento bruto anual (o que for maior).

A Nubank está contratando forte, mesmo em meio a crise.

Desde 12 de março, quando a empresa passou a funcionar com trabalho remoto, 138 pessoas foram recrutadas pela startup.

Atualmente, o Nubank tem cerca de 2,7 mil funcionários, divididos entre Brasil, Argentina, México e Berlim. Ao todo, são 23 milhões de clientes.