JURÍDICO

KPTL investirá até R$ 10 milhões na Preâmbulo Tech

13/10/2020 09:40

Com 32 anos de atuação, lawtech recebeu seu primeiro cheque de um fundo de venture capital.

Hamilton Andreatta, CTO, e Maurício Kavinski, CEO da Preâmbulo Tech.

Tamanho da fonte: -A+A

A Preâmbulo Tech, curitibana de software para gestão jurídica, acaba de receber um aporte com recursos do Fundo Criatec 3, criado pelo BNDES e gerido pela KPTL.

De acordo com o site NeoFeed, o valor do investimento pode chegar a R$ 10 milhões no chamado contrato de incentivo. O primeiro cheque será de R$ 3 milhões e o volume vai aumentando à medida que determinadas metas sejam cumpridas.

A empresa teve consultoria da Triaxis Capital na negociação com o fundo. Fundada em 1988, a Preâmbulo criou um software chamado CPJ e hoje conta com dois softwares e 110 funcionários.

O principal produto da empresa é o Preâmbulo CPJ-3C, um sistema de gestão jurídico que funciona na nuvem ou on-premise, instalado nos servidores do próprio escritório de advocacia. Ele representa 75% da receita da companhia, que foi de R$ 15 milhões em 2019.

O outro software é o CPJ-Cobrança, voltado para a recuperação de crédito. Trata-se de um produto complementar, voltado para escritórios que trabalham com bancos e grandes financeiras.

No total, a Preâmbulo possui um portfólio com 6 mil escritórios de advocacia e 1 mil departamentos jurídicos de empresas, totalizando 28 mil usuários.

O CEO da companhia é Maurício Kavinski, que não faz parte do time original de fundadores, mas comprou uma participação majoritária na empresa há seis anos. Hamilton Andreatta, o Chief Technology Officer (CTO), é um dos fundadores que ainda está na Preâmbulo.

Com o seu primeiro cheque institucional recebido de um fundo de venture capital, a lawtech deve reforçar área comercial e desenvolver novos produtos. Um deles é um software para automação de documentos e outro é um sistema para tratamento de dados.

“É uma empresa consolidada, com robustez financeira, líder de seu setor e que tem uma estratégia de crescimento que deve passar por novas aquisições”, afirmou Renato Ramalho, CEO da KPTL, ao NeoFeed.

Esse não é o primeiro investimento da KPTL na área jurídica. Em 2018, ela fez um aporte na Justto, startup que automatiza o processo de negociação de acordos judiciais, principalmente em casos do direito do consumidor e do direito trabalhista.

O potencial do mercado de lawtechs no Brasil é grande. 

São 1,2 milhão de advogados inscritos na OAB e cerca de 100 mil escritórios jurídicos, sem falar dos departamentos dentro de grandes empresas. O país gasta o equivalente a 2% do PIB com processos judiciais.

Talvez por isso o mercado nacional de lawtechs parece estar chamando a atenção de investidores estrangeiros visando consolidar mercado.

Em maio do ano passado, a Constellation Software, uma companhia canadense, comprou a catarinense Aurum, desenvolvedora dos softwares jurídicos Astrea e Themis. 

Em abril deste ano, a Constellation voltou à carga, desta vez comprando a Kurier, uma companhia pernambucana de software jurídico com 1,7 mil clientes, incluindo aí sete dos 10 maiores escritórios de advocacia do país. Esse negócio também teve a participação da Triaxis Capital.

Tanto a compra da Aurum como a da Kurier foram divulgadas pelas próprias adquiridas, o que indica que a Constellation pode ter fechado outros negócios que não foram divulgados publicamente.

Um mês depois, a Elaw Tecnologia, fornecedora de um sistema de gestão de departamentos jurídicos usado por 200 grandes empresas do país, fechou uma joint venture com a Impacta, uma empresa do mesmo ramo.

A KPTL é uma gestora de Venture Capital com ativos na ordem de R$ 1,2 bilhão e 49 empresas investidas. Sediada em São Paulo, a empresa tem seis escritórios espalhados pelo Brasil e um em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Fundada a partir da fusão entre a Inseed Investimentos e a A5 Capital Partners, a companhia é gestora do Fundo Criatec 3, criado pelo BNDES em 2016.

Com atuação nacional, o Criatec 3 conta com mais 10 cotistas além do BNDES e já fez mais de 20 investimentos em startups de diversos setores como agronegócio, energia, mídia, varejo e tecnologia da informação.

Veja também

CONSOLIDAÇÃO
Elaw e Impacta formam joint venture

Empresas afirmam que acabam de formar a maior lawtech do Brasil.

DIREITO
Constellation compra Kurier

Discretamente, canadenses buscam consolidar o mercado de lawtech no país.

LAWTECH
Aurum comprada por gigante canadense

Companhia de Florianópolis é uma das maiores do país no segmento jurídico.

ADTECH
KPTL investe na Alright pela segunda vez

Somando os aportes de 2019 e 2020, startup gaúcha recebeu R$ 5 milhões.

INOVAÇÃO
Aevo recebe aporte da KPTL

Valor investido com o fundo Criatec 3 pode chegar a R$ 4,2 milhões.

STARTUP
Syos recebe aporte da KPTL

Investimento com recursos do fundo Criatec 3 pode chegar a R$ 10 milhões e será pago em prestações.

CALÇADO
Marcas da Paquetá apostam em e-commerce

Capodarte e Dumond agora tem aplicativos para celular feitos pela Neomode.

SEGURANÇA
Software AG sofre ataque de malware

Empresa falou em malware, mas tudo indica que se trata na verdade de ramsonware.

STARTUPS
DGF Investimentos terá fundo de US$ 50 milhões

Gestora de venture capital iniciou captação em outubro e deve começar a investir no final do ano.

CHATBOTS
Take recebe aporte de US$ 100 milhões

Fundada em 1999, empresa decidiu fazer primeira rodada porque tem ambições globais.