Vinícius Aloe, novo sócio e diretor de produtos e open banking do Agibank. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Agibank, fintech em alta fundada em Porto Alegre, anunciou a chegada de Vinícius Aloe como sócio e diretor de produtos e open banking da instituição.

Aloe esteve por nove anos no Banco Santander e, desde 2019, liderou como cofundador e CEO a fintech Empréstimo Sim, que pertence ao banco. Na Sim, o executivo colaborou desde a estruturação do modelo de negócio até o go to market.

Com mais de 14 anos de carreira, também trabalhou no Banco Real.

O executivo é graduado em administração pela Universidade de São Paulo e tem mestrado em gestão de riscos pelo Insper, além de ter cursado estratégia de negócios e marketing internacional na Universidade Luigi Bocconi, da Itália.

No Agibank, Aloe tem o desafio de ajudar no crescimento da empresa e deve apoiar a instituição no desenvolvimento de novas soluções e serviços financeiros, liderando a área de negócios e orquestrando as diferentes frentes da companhia.

"A diretoria de produtos e open banking ocupa um papel estratégico e trazer alguém como o Vinícius, que tem bastante experiência, vai nos fortalecer para aumentarmos nossa penetração no mercado com soluções que nos farão cada vez mais ser a primeira escolha do cliente", explica Marciano Testa, CEO do Agibank.

O novo diretor vai liderar as equipes da área de negócios para aprimorar o portfólio oferecido pelo banco e atender os clientes que buscam empréstimos, investimentos, seguros ou transacionar dentro da plataforma do Agibank.

"Estou animado para ajudar o Agibank a fortalecer ainda mais sua presença nacional, com produtos e serviços altamente escaláveis e sem burocracia, ampliando o acesso dos brasileiros a esse mercado", afirma Aloe.

Criado em Porto Alegre, o Agibank começou em 1999 como uma financeira chamada Agiplan, até então concentrada no mercado de empréstimos pessoais.

No começo de 2016, incorporou o Banco Gerador, se tornando também um banco. Em 2018, mudou para o nome atual para dar uma guinada digital. Em outubro do ano passado, o banco anunciou a transferência da sua sede para São Paulo.

Além de ter seus pontos de atendimento próprios, a rede disponibiliza mais de 30 mil terminais para saque, por meio de rede de parceiros, e mais de 2 milhões de estabelecimentos credenciados para pagamento via QR Code.

Com 4 mil colaboradores, a instituição ainda tem 751 agências, que chama de “hubs” em todo o Brasil.

Diferentemente de boa parte dos bancos digitais, o Agibank gera lucro. O resultado líquido em 2020 foi de R$ 104,7 milhões, alta de 18,9% em relação ao ano anterior.