Cláudia de Moraes.

O Grupo Tecnowise, dono de diferentes softwares voltados para formação motoristas, acaba de investir R$ 10 milhões para criar uma spin off focada em sistemas de gerenciamento de aprendizagem (LMS, na sigla em inglês).

A nova empresa, batizada de Younder, vai vender o LMS que a empresa desenvolveu para ela mesma, visando atender a demanda da Procondutor, uma empresa de e-learning para formação, capacitação e reciclagem de condutores.

A nova empresa também tem um sistema de gestão de conteúdo (CMS, na sigla em inglês).

Inicialmente, a companhia usava o LMS open source Moodle, mas optou por criar do zero o seu próprio software, que já tem como clientes a Procondutor e o app da 99.

Apesar dos primeiros clientes serem do ramo que a Tecnwise está acostumada a atender, o discurso de vendas da Younder é mais amplo e a empresa se posiciona como uma EdTech, o jargão do momento para startups do segmento educacional.

“Estima-se que em 2030, 50% das carreiras que existem hoje não existirão mais e 65% das crianças que estão hoje no ensino fundamental terão profissões que ainda não existem. Ou seja, além de serem necessárias novas habilidades, os profissionais precisarão estar atualizados para manterem-se ativos no mercado de trabalho”, explica a diretora de Produtos da Younder, Cláudia de Moraes.

Cláudia entrou na companhia em 2015, e tem passagens pela Nextel, onde foi gerente comercial B2C e B2B.