Tahiana D’Egmont, CEO do Kickante. Foto: Divulgação.

A Kickante, plataforma de financiamento coletivo, anuncia a contratação de um novo CEO. Tahiana D’Egmont, que atuava como gerente de produto da Concrete Solutions, irá liderar as operações da empresa no Brasil. A fundadora do Kickante, Candice Pascoal, passa a ocupar o cargo de chairman no conselho da empresa. 

“Atuei como CEO da Kickante durante o primeiro ano. Porém, moro na Holanda, e com o crescimento da empresa decidimos contratar um CEO local para liderar a equipe, tocar os projetos de perto e estar em contato diário com o nosso público e parceiros”, conta Candice.

Tahiana trabalha com internet desde os 15 anos em produtoras de sites, startups e departamentos digitais de grandes empresas, como a Universal Music. 

Em 2008, fundou a empresa de jogos online Mentez. Também atuou como CMO da Vostu e participou da fundação de outras empresas, como Tutudo, Mimpit e UniPay. 

“As projeções indicam que o mercado de crowdfunding vai chegar a pelo menos US$ 90 bilhões até 2025 e o Brasil tem potencial para atingir uma fatia de pelo menos 10% desta soma”, afirma a nova CEO, Tahiana D’Egmont.

De acordo com o último balanço, realizado no final de 2013, o mercado mundial de crowdfunding arrecadou mais de US$ 6 bilhões e teve um crescimento de 91% em relação a 2012. 

No seu primeiro ano, a Kickante já lançou mais de 1 mil campanhas, captando mais de R$ 4 milhões em colaborações.

No final do ano passado, a empresa bateu o recorde de arrecadação em uma plataforma de crowdfunding no Brasil, com a campanha para o tour de palestras da empreendedora e escritora Bel Pesce. O valor ultrapassou R$ 880 mil, contando com cerca de 4 mil colaboradores.

A campanha #Torcida MSF, para o Médicos sem Fronteiras, foi a maior arrecadação em financiamento coletivo para entidades de terceiro setor no país – um total de R$ 143.263,00, em 2.698 contribuições. 

E a segunda maior arrecadação para o terceiro setor também pertence à plataforma – a campanha Artic Sunrise, para recuperação do navio do Greenpeace, que arrecadou R$ 106.225,00, em 1.841 contribuições.