ACQUI-HIRING

Itaú compra Emergee

03/09/2021 14:47

Profissionais da consultoria de métodos ágeis serão incorporados à estrutura do banco.

Alexandre Magno, fundador da Emergee. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Itaú Unibanco acaba de anunciar a aquisição da Emergee, consultoria paulistana especializada em métodos ágeis, em um acordo conhecido como acqui-hiring, quando uma companhia compra outra para contratar seus funcionários.

O valor e os termos da transação não foram revelados pela companhia.

A Emergee foi fundada em 2019 por Alexandre Magno, uma das referências no assunto no país. Ele foi o primeiro Certified Scrum Trainer do Brasil, ainda em 2008, ano no qual também fundou a Adaptworks, consultoria de destaque no tema.

O foco da Emergee é em  treinamentos, sejam eles em turmas abertas ou in-company, e no suporte consultivo para apoiar, acelerar ou escalar a agilidade nas empresas.

Na sua carteira de clientes, estão empresas como Tivit, Ambev, Adidas e Volvo.

“Entendemos que quanto mais qualidade houver nas iniciativas de transformação digital, maior será o impacto do nosso trabalho na sociedade. Este é um fator que sempre esteve no centro de nossos valores na Emergee, por essa razão embarcar neste desafio com o Itaú Unibanco faz muito sentido para a nossa empresa”, afirma o fundador da Emergee.

Após a venda, Magno e os outros profissionais da empresa se juntarão à estrutura denominada Escritório de Transformação, dentro da área de pessoas do banco.

A equipe da consultoria fará parte do time responsável por nutrir uma cultura ágil em todas as áreas do Itaú Unibanco a partir de novos modelos de trabalho, híbridos e descentralizados, permitindo a inovação em campos como escalabilidade, flexibilidade e especialização de produtos e serviços.

Para isso, os especialistas atuarão nas frentes de educação executiva e consultoria interna, sempre com foco em agilidade, complexidade e práticas emergentes.

“Nossos clientes esperam que sejamos tão ágeis e efetivos quanto as melhores startups com as quais eles já interagem inclusive em outros setores, e essa aquisição nos permitirá avançar rapidamente nesse sentido”, afirma Valéria Marreto, diretora da área de pessoas responsável pelo Escritório de Transformação.

As metodologias ágeis, antes um tema de nicho para companhias de desenvolvimento de software, têm ganhado espaço no universo corporativo, assim como a prática de acqui-hiring, impulsionada pela escassez de profissionais de tecnologia no mercado. 

Em 2019, a Loggi adquiriu o empreendimento de inteligência artificial WorldSense e a Gympass comprou a Flaner desta maneira. No ano passado, a Nubank anunciou a aquisição da Plataformatec, especializada em engenharia de software e metodologias ágeis.

A iFood, por sua vez, comprou a Hekima, empresa de inteligência artificial, ciência de dados e big data sediada em Belo Horizonte.

Em abril deste ano, o Grupo Boticário comprou a GAVB, uma companhia de tecnologia com sede em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, com 200 funcionários e foco em tecnologias como inteligência artificial, big data, cloud e devops.

No mês seguinte, a Alpargatas, fabricante das sandálias Havaianas, anunciou a aquisição da Ioasys, mineira focada em desenvolver soluções digitais para grandes marcas, por uma valor que pode chegar a R$ 200 milhões.

Em agosto, a VTEX adquiriu a Guava, estúdio recifense de desenvolvimento de software.

Veja também

OPORTUNIDADE
Itaú capacita mão de obra na área de dados

O banco está em busca de profissionais de todo o Brasil para três meses de treinamento.

DIVERSIDADE
Itaú quer 40 desenvolvedores trans

Aprovados no processo serão contratados e terão programa médico especial.

INOVAÇÃO
Cubo Itaú lança hub voltado para o agro

Projeto começa com as empresas Corteva Agriscience, São Martinho e Itaú BBA e já procura startups.

DADOS
Itaú leva multa de R$ 9,6 mi por privacidade

Ministério da Justiça encontrou problemas na operação de consignado do banco.

FINTECH
Itaú fecha acordo com Omie

Startup de software de gestão é a primeira parceira do Itaú Meu Negócio.

DÍVIDA
Golpe usa biometria facial para financiar carros

Publicitário relatou a compra de uma picape Amarok em seu nome através do Itaú.