Frederico Trajano, CEO da Magalu. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Magalu anunciou a aquisição de 100% do KaBuM!, plataforma brasileira de e-commerce de tecnologia e games, na maior operação de compra desde que a companhia iniciou sua “chuva” de aquisições, com 21 empresas em um ano e meio.

O valor total da compra, que não está fechado, será pago em três etapas. A primeira parcela, à vista, é de R$ 1 bilhão, enquanto a segunda envolve a transferência de 75 milhões de ações ordinárias da Magalu ao longo de um ano e meio.

Já a terceira etapa de pagamento, de até 50 milhões de ações, ocorrerá em janeiro de 2024 e será condicionada ao cumprimento de metas do KaBuM!. 

Nesta quinta-feira, 15, as ações da Magalu abriram a R$ 23,90, o que somaria mais R$ 1,79 bilhão ao negócio somente na segunda parcela — caso as ações se mantenham no mesmo patamar.

Fundado em 2003 em Limeira, no interior de São Paulo, o KaBuM! foi um dos pioneiros no comércio eletrônico brasileiro e hoje afirma ser o maior e-commerce do segmento de tecnologia na América Latina. 

A loja virtual já atendeu mais de 8 milhões de pessoas e empresas em cerca de 5 mil cidades do país. Com 2 milhões de clientes ativos, a plataforma oferece mais de 20 mil itens para profissionais e para o universo gamer. 

Além disso, a companhia é uma das precursoras em esportes eletrônicos no Brasil, tendo criado uma equipe de League of Legends tetracampeã nacional e a primeira representante brasileira no campeonato mundial.

A KaBuM! Esportes apoia também outras modalidades de e-sports, como Counter Strike, FIFA e Free Fire. 

Em 2020, as vendas do e-commerce cresceram 128% em relação ao ano anterior e, nos últimos 12 meses, a empresa teve receita bruta de R$ 3,4 bilhões e um lucro de R$ 312 milhões. 

“Esse nível de rentabilidade apresentado pelo Kabum não é comum em players de e-commerce, o que mostra a eficiência da gestão da companhia. Isso mostra que a empresa é muito alinhada com a filosofia da Magalu, que também apresenta crescimento acelerado com resultados sustentáveis”, destaca Frederico Trajano, CEO da Magalu.

Com a aquisição, a plataforma passa a ser incorporada ao ecossistema da Magalu, com oferta de produtos no aplicativo e operando em cooperação com o Jovem Nerd e o Canaltech, negócios recentemente adquiridos e que dialogam com o mesmo universo de clientes. 

Segundo o site Brazil Journal, os fundadores Leandro e Thiago Ramos continuarão na operação pelos próximos anos.

"Com a compra do KaBuM!, nos consolidamos como um dos líderes do e-commerce formal brasileiro e reforçamos nossa atuação em um dos mercados que mais crescem no mundo — o de produtos para geeks e gamers", afirma Trajano.

Dados da consultoria Accenture mostram que a indústria mundial de games atingirá 300 bilhões de dólares ao final de 2021, receita maior que a dos setores de música e filmes somados. No Brasil, são 95 milhões de gamers segundo a consultoria de e-sports BBL.

Junto à aquisição, a Magalu anunciou a realização de um follow-on de R$ 3 bilhões, que deve emitir 150 milhões de novas ações. 

O sindicato de bancos responsável pela operação é liderado por Itaú e BTG Pactual e conta ainda com J.P. Morgan, Merril Lynch, Banco do Brasil, Bradesco, Goldman Sachs, Morgan Stanley, Santander e XP.

Os recursos captados terão como destino a expansão da Magalu em novos mercados, investimentos em logística, com abertura de novos centros e hubs de distribuição, e o pagamento de aquisições como a Hub Fintech, realizada em dezembro de 2020.

Esta é a décima aquisição da Magalu em 2021. Neste ano, a empresa já trouxe para seu portfólio Juni, Plus Delivery, ToNoLucro, GrandChef, Bit55, Jovem Nerd, SmartHint, VipCommerce e Steal The Look.

No ano passado, a companhia realizou 11 aquisições, entre elas Estante Virtual, AiQFome, Hubsales, Stoq, Inloco, Canaltech, ComSchool e a Hub Fintech.

Listada no Novo Mercado da B3 desde maio de 2011, a Magalu conta com mais de 47 mil funcionários e 1,3 mil lojas em 21 estados do país. Seu marketplace conta com 33 milhões de usuários ativos.